sábado, 4 de julho de 2009



Oficial da marinha (Michelle Pfeiffer) abandona carreira militar para realizar o antigo sonho de ser professora de inglês. Mas o grupo de alunos rebeles que tem pela frente logo na primeira escola em que leciona será capaz de colocar à prova todo seu treinamento e experiência adquiridos na caserna.
Esta é a sinopse do filme que nos foi apresentado pelas professoras Socorro e Edjane em sala de aula na UESB. De fato é um filme muito interessante, pois vemos a luta de uma professora em sua primeira experiência como docente e os entraves que a mesma encontra pela frente.
No enredo é possível perceber que para conquistar a confiança dos educandos, a professora utiliza a abordagem Behaviorista (Skinner) que busca entender o comportamento em função das inter-relações entre história filogenética e ambiental do indivíduo, também conhecida como estimulo e resposta. Desta forma, a mesma consegue aproximar dos alunos inclusive visitando alguns deles em suas residências. Mas em um determinado momento, a professora sente-se incapaz por não ter conseguido evitar a morte de um dos seus alunos. Ela tenta ir embora, mas é surpreendida pela turma que exige sua permanência naquela instituição de ensino.

Fazendo um paralelo do filme com a nossa realidade, é possível afirmar que não se trata apenas de ficção, pois a rebeldia, a indisciplina e a violência não aparecem apenas em cinema. Em algumas escolas percebemos estes problemas, que têm crescido muito a cada dia. Presenciamos cenas terríveis de violência no período de estágio. E às vezes nos sentimos incapazes de tomarmos uma atitude, pois várias foram as vezes que tentamos conscientiza-los, sobre aquela situação. Além do diálogo, utilizamos músicas, atividades que falavam sobre a importância do respeito mútuo, dinâmicas envolvendo a afetividade, porém, nada adiantou. E nos perguntamos: De quem é a culpa? Porque agem desta maneira? Pra que vir a escola, se aparentemente o objetivo deles não é aprendizagem? Sabemos que vários são os fatores que os levam a agir assim. Mas estas são algumas inquietações, que ficaram sem respostas.

Um comentário:

Blog de Socorro disse...

Oi Silmara,

Retome as reflexões na fundamentação teórica do relatório para comprrender o cenário. Cadê nossas discussões sobre a função social da escola, a organização curricular, a formação de professores, o papel da família. Vamos lá. Retome essa postagem e continue sua reflexão.